Sexta-feira, 12 de Junho de 2009

ERA UMA VEZ, NA LUZ DAS ESTRELAS...

Era o tempo de sua liberdade,
E você dançava pelo éter...
De mãos dadas com as estrelas.
 
Era a hora de suas escolhas...
E você olhou para a Terra, e sorriu.
E desceu para mais uma jornada no mundo.
 
Era assim que você fazia: dançava no céu.
Mas, agora você não se lembra disso.
E as estrelas estão com saudades.
 
Era tão lindo o seu vôo...
Você voava cantando e rindo.
E deixava um rastro de luz por onde passava.
 
Era um outro tempo, em outro lugar.
Mas, chegou à hora da colheita...
E você virou o bebê de alguém.
 
Era o tempo de uma nova vida...
E você riu, e me disse: “Não se esqueça de mim!”
Ah, querida! Como esquecê-la?
 
Era uma vez, acima do mundo e além da vida...
Quando eu fiz uma canção.
E ela falava de você.
 
Era uma vez, querida...
Quando um grande amor desceu em mim.
E eu dancei com as estrelas, por você.
 
Era no espaço, por entre os pensamentos.
Era no coração, por entre os sentimentos.
Era na canção de amor que fiz, por entre os planos.
 
Era uma vez... Quando o amor fez o meu coração falar.
Era eu o menino do seu sonho.
E aquela estrela que você tanto gosta, também sou eu.
 
Era eu olhando-a pequena no berço.
E, certa vez, você me viu, e disse:
Têm um anjo no meu quarto!”
 
Era mais do que um sonho, minha pequena.
E, na letra dessa canção, eu me revelo a você.
Para que você sinta-se muito amada.
 
Era um outro tempo...
E eu não me esqueci de você.
E a canção fala por mim.
 
Era uma vez... Quando eu dancei com as estrelas.
Por você. Pelo amor.
Quando eu virei menino.
 
Era uma vez... Quando o amor me fez escrever.
Então, algo desceu do céu, em seu coração.
E você ficou feliz, sem saber o motivo.
 
Era um presente... De outro coração.
Era essa canção, por entre os planos da vida.
E, agora, você sabe: o amor é maior do que tudo!
 
Era uma vez, na luz das estrelas...
 
P.S.:
No silêncio da meditação, eu ouvi uma voz sutil.
Ela me disse: “Deixe o seu coração falar...
Escreva uma canção de amor, que inspire outros corações.”
E eu fiz. E agora, eu sou só sei o que o amor fez de mim.
Sumiu o homem, ficou o menino... E eu, cada vez menor.
Sim, cada vez menor, diante do infinito...
Enquanto um grande amor fala em meu coração:
Vive, ama, escreve, compartilha, compreende, ri, e segue...”
 
(Dedicado para aqueles que sentem um grande amor em seus pequenos corações e que, por isso, são apaixonados pela Vida e pela Luz.)
 
Paz e Luz*.

 

publicado por silvia às 17:40
link do post | comentar | favorito
|

.musica


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ...

. Introversão

. Primavera da vida

. Crianças

. Jovens

. Não sei quantas almas ten...

. Encontro de amor incondic...

. Dia mundial da criança

. Abertura do terceiro olho

. ERA UMA VEZ, NA LUZ DAS E...

.arquivos

. Julho 2010

. Abril 2010

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2006

.tags

. todas as tags

.links


Hospedagem de site
Hospedagem de site

.RECOMENDADOS