Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009

SENHORA DAS TEMPESTADES

SENHORA DAS TEMPESTADES

Senhora das Tempestades
E dos mistérios originais
Quando tu chegas,
A terra treme do lado esquerdo
Trazes a assombração
As conjugações fatais
E as vozes negras da noite
Senhora do meu espanto e
e do meu medo
Senhora das Marés Vivas
e das praias batidas pelo vento
Senhora do Vento Norte
Com teu manto de sal e espuma
Há uma lua do avesso quando chegas
Há um poema escrito
Em página nenhuma
Quando caminhas sobre as águas
Senhora dos Sete Mares
conjugação de fogo e luz
E no entanto eclipse
Trazes a linha magnética da minha Vida

II

Senhora da minha Morte
Quando tu chegas, começa a música
Senhora dos Cabelos de Alga
Onde se escondem as Divindades
Trazes o mar, as chuvas, as procelas

Batem as sílabas da noite
Batem os sons, os signos, os sinais
E és tu a voz que dita
Trazes a festa e a despedida
Senhora dos instantes
Com sua Rosa dos Ventos
E teu cruzeiro do Sul
Senhora dos Navegantes
Com teu astrolábio
e a tua errância
Tudo em ti é partida
Tudo em ti e distância

Senhora do Vento
Com teu cavalo cor do acaso
Teu chicote, tua ternura
Sobre a tristeza e a agonia
Galopas no meu sangue
Com teu cateter chamado
Pégaso

Senhora dos teoremas
E dos relâmpagos marinhos
Senhora das Tempestades
E dos líquidos caminhos
Quando tu chegas
Dançam as Divindades
E tudo é uma alquimia
Tudo em ti é Milagre
Senhora da Energia!

MANUEL ALEGRE

publicado por silvia às 15:10
link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Janeiro de 2009

TEMAS DE VIDA - QUAL É O SEU?

 

 

Activador. Os activadores encontram-se na Terra para apanhar os destroços que os outros deixam no seu rasto. Resolvem os problemas e resolvem-nos bem. Gostam de cumprir a tarefa que têm pela frente, por menor ou maior que seja. Os activadores devem ter cuidado para não tentarem chegar a tudo, pois poderão perder-se.

 

 

 

 

publicado por silvia às 18:14
link do post | comentar | favorito
Sábado, 24 de Janeiro de 2009

ADONAI

publicado por silvia às 17:25
link do post | comentar | favorito
Sábado, 17 de Janeiro de 2009

Familia

 

 

Todos os membros da nossa família escreveram um mapa de vida antes de virem para a terra. Todos escolhemos ser familiares uns dos outros. Como os mapas constituem os mapas de estrada detalhados do que viemos aqui aprender, deve haver uma abundãncia de lições e desafios a superar em cada relação familiar, caso contrário não os teríamos escolhido. Portanto, nem sempre podemos apreciar as lições ou as pessoas que escolhemos para nos ensinarem, mas devemos aproveitar ao máximo a oportunidade e ficar felizes com esta educação, nem que seja porque, se acertarmos desta vez, para a próxima não teremos de voltar á estaca zero.

Tem que haver respeito, pois os "laços genéticos" não são sinónimo de "dispensa especial" e/ou "vale tudo". Nem quer dizer que temos de gostar um dos outros ou conviver uns com os outros.

publicado por silvia às 18:23
link do post | comentar | favorito

Não me interessa

 

     

 

 

"Não me interessa o que fazes na vida.

Quero saber o que anseias, e se tens coragem de sonhar em atender aquilo pelo qual o teu coração anseia.

Não me interessa saber a tua idade.

Quero saber se tens coragem de parecer um tolo por amor, por sonhos, pela aventura de estar vivo.

Não me interessa saber que planetas regem a tua lua.

Quero saber se tocou o âmago da tua própria dor, se as traições da vida te abriram ou se te tornas-te murcho e fechado por medo de mais dor!

Quero saber se podes suportar a dor, minha ou tua, sem procurar escondê-la, reprimi-la ou remendá-la. Quero saber se  podes aceitar alegria, minha ou tua; se podes dançar com abandono e deixar que o êxtase te domine até a ponta dos dedos das mãos ou dos pés, sem nos dizer para termos cautela, sermos realistas, ou nos lembrarmos das limitações de sermos humanos.

Não me interessa se a história que me contas é a verdade.

Quero saber se consegues desapontar outra pessoa para ser autêntico contigo mesmo, se podes suportar a acusação de traição e não trair a tua alma. Quero saber se tu podes ver beleza mesmo que ela não seja tão bonita todos os dias, e se podes procurar a origem da tua vida na presença de Deus. Quero saber se tu podes viver com o fracasso, teu e meu, e ainda, à margem de um lago, gritar para a lua prateada: ‘Posso!’

Não me interessa onde  moras ou quanto dinheiro tens.

Quero saber se podes levantar-se após uma noite de sofrimento e desespero, cansado, ferido até os ossos, e fazer o que tem de ser feito para alimentar teus filhos.

Não me interessa saber quem és e como vieste parar aqui.

Quero saber se enfrentarás as chamas comigo, sem dares um passo atrás.

Não me interessa saber onde, o quê, ou com quem  estudaste.

Quero saber o que te sustenta, por dentro, quando tudo o resto desmorona.

Quero saber se consegues ficar sozinho contigo mesmo e se, realmente, gostas da companhia que tens nos momentos vazios."

Sonhador da Montanha Oriah- ancião índio

publicado por silvia às 17:00
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 15 de Janeiro de 2009

FANTÁSTICO

publicado por silvia às 21:49
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 13 de Janeiro de 2009

Vai um café?


Um professor diante da sua turma de filosofia, sem dizer uma palavra, pegou num frasco grande e vazio de maionese e começou a enchê-lo com bolas de golfe. A seguir perguntou aos estudantes se o frasco estava cheio. Todos estiveram de acordo em dizer que 'sim'.
O professor tomou então uma caixa de fósforos e a vazou dentro do frasco de maionese. Os fósforos preencheram os espaços vazios entre as bolas de golfe. O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio, e eles voltaram a responder que 'Sim'.
Logo, o professor pegou uma caixa de areia e a vazou dentro do frasco. Obviamente que a areia encheu todos os espaços vazios e o professor questionou novamente se o frasco estava cheio. Os alunos responderam-lhe com um 'Sim' retumbante.
O professor em seguida adicionou duas chávenas de café ao conteúdo do frasco e preencheu todos os espaços vazios entre a areia. Os estudantes riram-se nesta ocasião. Quando os risos terminaram, o professor comentou:
'Quero que percebam que este frasco é a vida. As bolas de golfe são as coisas importantes, a família, os filhos, a saúde, a alegria, os amigos, as coisas que vos apaixonam. São coisas que mesmo que perdessemos tudo o resto, a nossa vida ainda estaria cheia. Os fósforos são outras coisas importantes, como o trabalho, a casa, o carro etc. A areia é tudo o resto, as pequenas coisas. Se primeiro colocamos a areia no frasco, não haverá espaço para os fósforos, nem para as bolas de golfe. O mesmo ocorre com a vida. Se gastamos todo o nosso tempo e energia nas coisas pequenas, nunca teremos lugar para as coisas que realmente são importantes. Prestem atenção às coisas que realmente importam. Estabeleçam as vossas prioridades, e o resto é só areia.'
Um dos estudantes levantou a mão e perguntou:  Então e o que representa o café? O professor sorriu e disse: 'Ainda bem que perguntas! Isso é só para vos mostrar que por mais ocupada que a vossa vida possa parecer, há sempre lugar para tomar um café com um amigo'.

 

publicado por silvia às 11:30
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quarta-feira, 7 de Janeiro de 2009

Lágrimas ocultas

Lágrimas ocultas

Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!

E fico, pensativa, olhando o vago...
Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...

E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

                             Florbela Espanca

 

publicado por silvia às 23:47
link do post | comentar | favorito
Domingo, 4 de Janeiro de 2009

A NOITE NEGRA DA ALMA

o que vem a ser a Noite Negra da Alma?

E por que temos de enfrentá-la depois do nosso despertar para a vida
mística, depois de nossa escolha de Purificação, depois que, pela
Iluminação, somos capazes de comandar os nossos sentidos objectivos? A
Noite Negra da Alma é um degrau que temos de ultrapassar nessa
caminhada ascensional ao encontro da face de Deus. É também o mais
árduo, o mais escarpado, o de mais difícil acesso, pois que para transpô-lo precisaremos de toda a nossa coragem e de vigorosa decisão pessoal e íntima para abraçarmos definitivamente os ideais que nos farão UM com o Cósmico.

Noite Negra da Alma é uma expressão antiga, usada pelos místicos para
caracterizar certo estado emocional e psicológico, bem como uma fase
de provas por que todos passamos na trilha que nos leva ao vislumbre
total de um ideal acalentado com toda a força do nosso ser. São João
da Cruz, místico espanhol do século XVI, a descreveu com muita lucidez e
propriedade, denominando- a Noite Escura do Espírito. Thomas Merton,
citando Gregório de Nissa, teólogo e místico do século IV, nos
adverte que "A vida espiritual é uma caminhada das trevas à luz e da
luz às trevas. É a transição de uma luz que são trevas para trevas
que são luz. A ascensão da falsidade para a Verdade começa quando a
falsa luz do erro é trocada pela luz que é verdadeira, mas insuficiente, das noções elementares sobre Deus. Essa luz deve depois ser obscurecida, diz ele. A mente deve desprender-se das aparências sensíveis e procurar a Deus nas realidades invisíveis que só a inteligência pode apreender".

Portanto, até que possamos estar preparados para contemplar a suprema
sabedoria divina, a nossa personalidade- alma deverá ser aperfeiçoada
no cadinho da Noite Negra da Alma, período em que é comum
experimentarmos toda a sorte de fracassos; nosso dia-a-dia transcorre
numa seqüência de frustrações; planos determinados com inteligência e perseverança estarão eivados de incertezas e obstáculos. A visão e a expectativa do futuro parecerão toldar-se nas águas da incerteza e da depressão, e experimentamos um profundo desânimo.
Somos então tomados pelo desejo de deixar de lado a busca encetada até o momento.
Os mais caros ideais parecerão sem nenhuma importância, e o perigo iminente, que vai pairar sobre nós, é o de interrompermos nossos estudos místicos, nossas atividades culturais e nos distanciarmos do curso de nossa vida espiritual, sucumbindo inteiramente ao pessimismo. E se tal acontece, temos de experimentar a sensação e a convivência com o fracasso, pois essa fase realmente negra em nossa vida acontece por força de ser tentada, medida e pesada a fibra de nossa personalidade alma.
Nossas convicções, nossa força de vontade, nosso merecimento pessoal de maior iluminação são colocados a duras provas. E se, para escaparmos desse embate interno, nos deixamos abater por tais conflitos, poderemos desfrutar uma paz aparente, em nível de nossa mediocridade, mas, no recôndito de nós mesmos, nos recessos mais profundos de nosso ser, lá onde nos fala a consciência, senhora absoluta de imaculado silêncio, estaremos certos de que, deliberadamente, renunciamos ao júbilo de realizarmos a conquista da verdadeira Paz, daquela Paz de espírito sobre a qual nos falou o Mestre Jesus.

A Noite Negra da Alma não é em si mesma uma circunstância cármica,
uma purificação "imposta" ao indivíduo. É, antes de tudo, um retoque
final à obra de arte que vem sendo elaborada dentro de nós, no
desenrolar de sucessivas etapas do nosso aperfeiçoamento interior.
Até chegar à Iluminação vamos melhorando nossa consciência pessoal,
mas é enfrentando essa fase angustiante de incertezas e desafios que
daremos a feição verdadeira ao novo ser que brotará dentro de nós, um
novo ser que foi capaz de escalar doloroso caminho até alcançar
níveis mais altos de consciência.

Enquanto dure esse estado de conflito temos de fazer uma cuidadosa
introspecção, um mergulho no imenso espaço interior de nós mesmos,

empreender um caminho de volta para o Santuário do nosso ser,

um retorno sobre antigos conceitos, sobre a nossa faculdade

pessoal de nos questionarmos sobre a Vida. De nada adiantará apenas

lutarmos contra as inevitáveis frustrações que advirão dessa necessidade

de reciclagem interior.
Necessário será medirmos com humildade os nossos atos conscientes, 

na tentativa de torná-los mais dignos e mais
consentâneos com a nossa missão cósmica.


publicado por silvia às 19:19
link do post | comentar | favorito

.musica


.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. ...

. Introversão

. Primavera da vida

. Crianças

. Jovens

. Não sei quantas almas ten...

. Encontro de amor incondic...

. Dia mundial da criança

. Abertura do terceiro olho

. ERA UMA VEZ, NA LUZ DAS E...

.arquivos

. Julho 2010

. Abril 2010

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2006

.tags

. todas as tags

.links


Hospedagem de site
Hospedagem de site

.RECOMENDADOS